Copa do Brasil
Assunção chora e Valdívia garante permanência para a Libertadores
Publicado em 12 de julho de 2012 às 01h02

Considerado o principal setor da equipe treinada pelo técnico Luiz Felipe Scolari, os meio-campistas do Palmeiras não esconderam a alegria pela conquista da Copa do Brasil. Sem conquistar um título desde 2008, quando levantou o troféu do Campeonato Paulista, o alviverde volta ao lugar mais alto do pódio após empatar com o Coritiba por 1 a 1, em pleno estádio Couto Pereira.

Um dos jogadores mais emocionados era Marcos Assunção. Atleta de qualidade única na bola parada, o camisa 20 cobrou a falta na cabeça do atacante Betinho no gol palmeirense. Chorando copiosamente, o meia não poupou palavras para falar da conquista. “O título mais importante da minha carreira é esse. Dedico à minha família, à torcida e aos outros jogadores porque só eles sabem o sofrimento que passamos até aqui”, bradou Assunção.

Zagueiro de ofício, Henrique foi deslocado para o meio de campo durante a competição e se tornou um dos principais nomes do Palmeiras neste segundo jogo da final, o camisa 3 falou que o título foi visado desde a primeira partida do certame. “Desde que começou o campeonato, nós acreditávamos neste título. Jogo por jogo, luta por luta. Todos estão de parabéns, a torcida, a comissão-técnica e os jogadores. Isso formou uma família que fez a diferença nessa conquista”, disse o jogador.

Expulso na primeira partida, Jorge Valdivia passou os apuros de ser um mero torcedor. Sofrendo ao lado de São Marcos, o chileno estampava um enorme sorriso em seu rosto, logo após o apito final. Falando sobre a alegria do título, o Mago não deixou de enfatizar o drama do sequestro sofrido no último mês. “Esse título significa bastante porque eu sofri muito. Todos vocês sabem do sequestro e agora pude ser campeão aqui no Palmeiras. Isso é maravilhoso. Tive a felicidade de conquistar o Campeonato Paulista, mas agora é muito maior. O importante é que ajudei bastante e agora é comemorar”, afirmou o camisa 10 palmeirense.

Mais assediado em campo pelos jornalistas, Valdivia garante o alivio pelo título nacional. “Agora a gente vai ver o quão maravilhoso é ser campeão nesse time. O quanto a gente vai comemorar... Cara, você tira a pressão do ano todo. Não tem como não falar isso. Claro que vamos buscar o título brasileiro, mas se não for assim, estamos na Libertadores”.

Claro que a sua permanência precisava ser questionada para a disputa da Taça Libertadores da América de 2013, e Valdívia garantiu que a intenção é permanecer no Palestra Itália. “Se o presidente aumentar meu salário eu fico”, brincou o ídolo antes de falar com seriedade. “Brincadeira. Eu estou tentando forçar minha mulher a voltar. Aqui é minha casa, tive proposta pra sair e não aceitei. Sei que tenho o carinho de todos e da diretoria. E com certeza isso vai me fazer ficar aqui”, completou o ídolo alviverde.

© 2014 Federação Paulista de Futebol - Todos os direitos reservados. FALE CONOSCO    |    EXPEDIENTE